O turismo como chave da recuperação econômica

O turismo é um dos setores mais afetados pela pandemia. Um estudo da Fundação Getúlio Vargas estima que, só no Brasil, este segmento pode registrar um prejuízo superior a R$ 150 bilhões. Neste cenário de reabertura gradual da economia, qual o futuro do setor de turismo? Como as empresas deste mercado vão se recuperar?
Para entender um pouco mais sobre o setor na nossa região, consultamos empresários do setor de turismo, desde as agências até a rede hoteleira para apresentar um panorama real da situação  A expectativa é de uma retomada será lenta e gradual ainda este ano, e uma previsão de aquecimento ainda maior em 2021, principalmente em destinos nacionais e de curta distância.
Se a atual pandemia estiver em patamares mais controlados, uma segunda fase da recuperação do turismo deve acontecer em meados do primeiro trimestre do próximo ano. 
Na visão do secretário de Turismo, Lazer e Eventos da Prefeitura de Itu, Vinicius Salton, o setor é um dos pilares da economia local e será fundamental na retomada econômica. “Acreditamos muito no turismo de proximidade e contamos com uma ótima rede hoteleira, campings, pousadas, fazendas que somam mais de 4,5 mil leitos. Além disso, os nossos atrativos estão restaurados e prontos para serem admirados pelos turistas no momento que tudo retomar a normalidade. Não temos dúvidas que o momento pós-pandemia será a grande hora do turismo de Itu”, comentou Vinícius.

Ele ainda citou que o município aproveitou a inatividade do turismo local para investimentos em infraestrutura. “não medimos esforços para finalizar diversas obras de infraestrutura turística, cabendo citar Praça dos Exageros, Praça Washington Luiz, Boulevard Floriano Peixoto, entre outras, que irão refletir na atração de visitantes e reaquecimento econômico”.

Na gerência geral do Novotel Itu, o executivo do setor hoteleiro, Carlos Jacobina, explicou à mudança completa do foco de atuação em virtude pandemia e a adaptação à nova realidade do setor. “70% do nosso público antes da pandemia era como foco no MICE (Encontros, Incentivos, Conferências e Feiras), porém não temos mais esse público no momento, o que exigiu uma mudança de atuação aproveitando toda à nossa experiência e estrutura disponível no resort. Voltamos as atenções para atender o público de lazer, pois o interior se tornou o foco”. Jacobina ainda considera que a região de Itu, o eixo Sorocaba – Campinas, pode se considerar privilegiada neste momento pela localização neste processo de retomada gradual. “Alguns fatores são importantes como o retorno gradativo do turismo, pois temos um público de São Paulo que está saindo, porém não busca por viagens longas de avião. Em menos de 1 hora, os moradores da capital chegam ao hotel e ainda tivemos o privilégio de ótimas temperaturas nos finais de semana”. 

Novotel Itu realiza inúmeras medidas preventivas para a segurança dos hóspedes e colaboradores

O executivo reforça que o Novotel – www.novotelitu.com.br – seguirá com a proposta de atendimento deste público focado no lazer, respeitando todas as regras sanitárias, e a retomada gradual dos eventos – com limitações – na área corporativa. “Estamos com a capacidade de 30% no atendimento e seguiremos com atenção especial na segurança dos colaboradores e hóspedes. Procuramos promover experiência dentro das limitações impostas pelo momento e estamos tendo um retorno extremamente positivo dos clientes que entendem as regras e seguem integralmente”.

Vale ressaltar que o novotel retomou as atividades no último dia 10 de julho, seguindo os protocolos de segurança de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Foram implementados os 16 padrões ACCOR que sustentam o selo ALLSAFE de limpeza e prevenção do coronavírus. Os padrões globais foram desenvolvidos e serão auditados pela Bureau Veritas, Líder em Certificação Mundial. 

O selo cobre tanto as acomodações quanto restaurantes e define os padrões sanitários aplicáveis. Em áreas comuns, é obrigatório o uso de máscaras e ao fazer o check-in, haverá aferição de temperatura e conscientização dos hóspedes sobre as medidas de higiene e distanciamento dentro do hotel. Os colaboradores estão sendo treinados para seguir à risca todos os protocolos de segurança. E ao entrar no apartamento, o hóspede receberá o quarto lacrado e bio sanitizado, além de outras inúmeras ações. 

Outra fonte consultada no setor hoteleiro foi o Itu Plaza Hotel. “Durante toda a pandemia o IPH esteve de portas abertas. E mesmo em um momento tão delicado, sempre estivemos prontos para receber nossos hóspedes e clientes. Nosso comprometimento com o bem-estar e segurança está ainda mais rigoroso, pois estamos seguindo todas as recomendações da OMS em cada parte do nosso cotidiano”, explicou a gestão do IPH.

IPH contratou empresa especializada para garantir a qualidade e segurança dos procedimentos

O hotel contratou uma empresa especializada para garantir a qualidade e segurança dos procedimentos, que são atestados através de um selo de qualidade. O empreendimento também recebeu o Selo do Turismo Responsável, um programa do Ministério do Turismo que estabelece práticas de higienização e buscar indicar destinos seguros. “Podemos citar alguns cuidados, como o seu check-in com a aferição de temperatura, treinamento de nossa equipe, redução de nossa capacidade máxima, ambientes bem arejados, e distanciamento seguro das mesas do restaurante, além de é claro, higienizar adequadamente todos os locais e utensílios. Para saber mais detalhes disponibilizamos o nosso manual completo em nosso site www.ituplazahotel.com.br”. 

O Itu Plaza Hotel projeta uma retomada gradual, até porque a gestão entende que também houve uma mudança no perfil do cliente. “Atualmente buscamos desenvolver um novo turismo para um novo consumidor, proporcionando uma hospedagem mais segura possível. Acreditamos que a médio prazo, a tendência é que os clientes procurarem destinos mais curtos, favorecendo o turismo regional. Esperamos que em 2021 nosso setor se restabeleça ainda mais forte, contribuindo para a recuperação da saúde econômica do país e com a recolocação dos profissionais no mercado de trabalho”.

Já no segmento das agências de viagens, a Márcia Maqui, da Pamplona Turismo avalia que a situação atual se resume a duas palavras: expectativa e responsabilidade. “A expectativa é da retomada iniciando-se pelo turismo regional e nacional, uma vez que por todo o Brasil, muitas regiões já estão retomando as atividades turísticas, como hotéis e atrações já reabrindo. Quanto a responsabilidade, diz respeito ao agente de viagem, que prezando sempre pelo cliente, neste momento de indefinição, preza pela comercialização de produtos turísticos passíveis de se concretizarem, a fim de não pensar apenas na venda em si, mas sim na real realização da viagem comprada pelo cliente”.

Equipe Pamplona Turismo


Ao mesmo tempo, a empresária que transferiu a agência para um novo espaço no Torre Inc 50, ressalta o trabalho quem vem sendo realizado desde o início da pandemia, de forma incessante no suporte aos clientes que já tinham viagens programadas e tiveram que remarcar.

Também no segmento de franquias de agências, Isis Andereza Yau, da CVC do Plaza Shopping Itu, explica os impactos da pandemia no setor. “O momento é delicado, mas com grandes e boas perspectivas. Nosso setor foi duramente impactado, fronteiras fechadas, vôos cancelados e hotéis de portas fechadas. No começo o susto foi muito grande. Nós da CVC, apesar de portas fechadas no shopping, trabalhamos arduamente para tranquilizar nossos clientes e dar o maior e melhor apoio com informações que se transformaram ao longo do tempo, com as mp´s sancionadas, o bom relacionamento com os fornecedores e abertura gradual do setor”.

Equipe da CVC Turismo

Ela ainda completa que é um processo de adaptação, pois o setor tem investido em protocolos de segurança, higiene e limpeza para que o cliente tenha confiança e tranquilidade em organizar a viagem com a família. “os destinos nacionais é a grande bola da vez. O nordeste em especial tem se destacado pela procura e pela venda, hotéis nas proximidades também têm sido atrativo entre a procura do consumidor”. 

Na visão da empresária, a CVC tem sido a grande protagonista nesta retomada. “O momento ainda exige cuidado e cautela, não é hora de comemorar, mas a cada dia sentimos a necessidade do brasileiro em voltar a sonhar com a viagem de férias com a família. Importante também ressaltar que a procura por pacotes que incluam o avião,  traslado, o suporte direto do vendedor, bem como a indicação de hotéis que sigam as normas e procedimentos de saúde, têm sido fundamentais para que o consumidor prefira uma agência de viagens de confiança”.

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s